5 razões para criar um site Institucional

A web tem um grande potencial a ser explorado e ainda promete muito  no mercado de vendas mundial.  De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa especializada em análise de audiências on-line, Navegg,  já são 105 milhões de pessoas conectadas à internet no Brasil, razão mais que suficiente para sua empresa estar conectada e possuir um site institucional. Se interessou? Acompanhe os 5 motivos mais importantes para estar presente no meio virtual. Continue lendo

Conheça a série: “Como é que é?”

Você já deve ter se deparado com informações incorretas divulgadas por aí e que acabam fazendo com que as pessoas realizem atividades de formas não muito apropriadas no mundo dos negócios e fora dele, não é mesmo?

Os usuários possuem cada dia mais ferramentas para gerar conteúdos e disseminar informações e isso potencializa a democratização da informação, mas também requer cuidados para que conteúdos que diferem da verdade não sejam espalhados e passem a afetar o mercado e os profissionais, afinal, como disse Goebbels:

“Uma mentira contada mil vezes, pode se tornar uma verdade”.

Fazendo nossa parte para garantir as melhores práticas no mundo corporativo com o marketing digital, divulgaremos uma série de posts com o objetivo de desmistificar alguns aspectos que envolvem nossa área de atuação e que são amplamente divulgados pelos usuários, muitas vezes por falta de conhecimento das melhores formas de se trabalhar com as soluções em questão.

A série intitulada “Como é que é?” trará a informação equivocada que tem sido amplamente divulgada e abordará os pontos que devem ser melhorados nas empresas em relação a ela.

Serão posts sobre: o papel do site institucional, o e-mail marketing promocional, as campanhas nas mídias sociais, a gestão de processos em uma empresa, a segurança das compras online, a estrutura de um projeto de e-commerce e os resultados das ações de links patrocinados.

Fique atento e acompanhe nosso blog para saber o que andam dizendo por aí e que não está de acordo com as melhores práticas do mercado.

Sucesso! E até o próximo post!

Saindo do forno: Conheça os lançamentos da Triata!

Nossa equipe não para!

Estamos sempre produzindo para que nossos clientes possam atingir seus objetivos e melhorar seus resultados na internet.

 

Cliente: SILK CO 

Descrição: A marca SILK CO comercializa tecidos de seda e tecidos sintéticos, produzidos com matéria prima de alta qualidade.

Site: http://www.silkcotextil.com.br


 

Cliente: MECTROL

Descrição: Impulsionando o progresso industrial há mais de 10 anos em todo território nacional e em alguns países da américa latina, fornece produtos de alto desenvolvimento tecnológico na área de automação industrial de máquinas e equipamentos.

Site: http://www.mectrol.com.br

 

Cliente:  JHONNY TATTOO STUDIO 

Descrição: Studio com 30 anos de experiência no mercado,sendo 9 deles locaizado em Bauru. Oferece mais de 100 mil desenhos dos mais variados tipos, além de trabalhos exclusivos e feitos de acordo com a personalidade de cada cliente.

Site: http://www.johnnytattoostudio.com.br

Cliente: BRATAC 

Descrição: São mais de 70 anos no segmento de fiação de seda natural. É uma das empresas que mais investe em pesquisas, obtendo reconhecimento nos melhores mercados consumidores de fios de seda, tais como Europa, Japão e EUA.

Site: http://www.bratac.com.br

Cliente: ALPACK 

Descrição: Empresa nacional, atuando há mais de 8 anos no seguimento de fitas adesivas, máquinas para embalagens e equipamentos de proteção individual.

Site: http://www.alpack.com.br

Muito bom, não é? Projetos de empresas de segmentos diferentes e que agora contam com um site como ferramenta estratégica de conteúdo para promover seu negócio e atender seus clientes.

Curtiu? Conte-nos o que achou!

Quer saber como podemos atender as necessidades de seu projeto? Entre em contato conosco!

Clica! Que lá vem história: Site vapt-vupt… você está fazendo isso errado!

Você se decidiu por fazer o site da sua empresa e apareceram ofertas de todos os tipos, certo?

Seu bolso ficou encantado por uma oferta de site Vapt-vupt compreensível. MAS…

Se você não pensar em estratégia, planejamento, plataforma consolidada, investimento e retorno,

O investimento aleatório em ações como essa, em inúmeras vezes desconsidera fatores importantes como planejamento, a integração das funcionalidades e principalmente o atendimento total das necessidades da empresa, visto que se utilizam de ferramentas genéricas e pouco customizáveis, muito aquém do escopo que tornaria seu site um verdadeiro canal de comunicação e vendas para seus negócios.

Como na história da borboleta em nosso post anterior, desconsiderar no mundo dos negócios tudo o que é preciso para se chegar a um objetivo e tentar apressar as coisas por impulso fará com que sua estratégia se enfraqueça e não alcance resultados positivos.

Levante quais as necessidades de sua empresa, quais os objetivos de sua entrada na internet ou da reformulação de sua identidade digital e vamos conversar! Nós te ajudaremos a entender mais sobre a melhor estratégia para sua empresa na web e definiremos um cronograma para seu projeto que permita desenvolver o escopo que atenda as necessidades de sua empresa de forma assertiva.

Conheça algumas das empresas que decidiram investir em seu ciclo de evolução preparando com força e firmeza seu projeto web para alçar vôos em busca dos melhores resultados conosco.

E não se esqueça: quem tem pressa e quer bons resultados sem cumprir todas as etapas sai do casulo sem conseguir voar…

 

Clica! que lá vem história: Quem tem pressa e quer bons resultados…

Hoje vamos te contar uma história que vai te fazer sorrir, mesmo que você nunca tenha visto ela acontecer na prática.

Ela fala a respeito de boas intenções e da pressa em obter resultados. Infelizmente ou felizmente ela coloca um contexto realista e muito sábio em relação a Investimento e Retorno obtido com esse investimento.

“Certo dia, uma criança estava a observar uma pequena abertura num casulo. Esteve a ver por muito tempo, percebendo que a pequena borboleta se esforçava, batendo as asas, para conseguir alargar o buraco e sair através da abertura. Ao fim de umas horas, resolveu ajudar a borboleta, criando ele mesmo uma abertura maior para que ela pudesse sair.

A borboleta saiu, mas passou o resto da vida aleijada, rastejando, com o corpo murcho e asas encolhidas – nunca seria capaz de voar, pois não passou por seu processo natural, que lhe conferia força suficiente nas asas para mantê-las firmes e voar.

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos na nossa vida, para nos tornarmos mais fortes e mais capazes”.

Assim como o menino é comum encontrarmos proprietários, diretores e gerentes de empresas, querendo investir num Site Vapt-Vupt e decepcionando-se profundamente com o resultado obtido como consequência.

Por que este site será feito? O que se pretende com ele? Como ele será gerido? De que forma serão mensurados os resultados? Como será avaliado o retorno deste investimento?

No post de amanhã saberemos como essas questões influenciam no sucesso de um projeto web.

Cap.2 – Era uma vez… “Um site profissional… De verdade!”

Em nosso último post da série “Era uma vez…” você acompanhou a movimentação em torno da criação do site da Tecidos Vitória. Havia ficado uma questão para trás, você se lembra?

Felipe, gerente de MarketingFelipe, o gerente de marketing, lembrou que em uma conversa com um amigo, falavam de empresas que criam uma imagem  corporativa na internet que não comunica o que realmente são, por meio de sites ‘caseiros’.

Lembraram que algumas empresas e “freelas” de sites eram como o personagem Pinóquio, boneco de madeira, que dizia mentiras convenientes para ele e que só conseguiu atingir seu objetivo de ser um menino de verdade quando entendeu a importância de expressar as coisas realmente como elas são.

Pinóquio

Ao entender o problema real da empresa, ele buscou uma agência especializada em projetos digitais, que pudesse mostrar ao mercado o que a empresa pretendia e, após algumas reuniões, recebeu uma proposta formal e fizeram um briefing com a agência escolhida para realizar o trabalho. Por fim a Tecidos Vitória aprovou seu projeto de internet e hoje conta com acessos e solicitações de todo o país.

Luiz Vitório, dono da empresaEm que parte dessa história sua empresa se encontra? Ainda divulgando conteúdos desestruturados e de qualquer jeito na internet por não considerar o investimento correto em um projeto de internet algo necessário? Quanto vale para sua empresa a veracidade e o profissionalismo da divulgação de seu discurso institucional? Pense nisso! Sua empresa merece atenção profissional, que desenvolva um site para ter seus resultados de visitação mensurados, ser facilmente achado no google e ser cada dia mais encontrado pelo seu público.

Luiz, gerente de produção

Com  a experiência positiva do site, Felipe conversou com o pessoal da agência e depois com o Luiz, sobre a utilização de um sistema para gerenciar os processos da fábrica. Eles estavam com alguns gargalos na produção, queriam deixar a logística em ordem para todos os fluxos de recebimento dos pedidos, envio de marcadorias e contratações necessárias.

Felipe entendeu que o fornecedor do site não era só uma agência, é uma empresa especializada em tecnologia e internet e pode ajudar bastante a Tecidos Vitória a usar essa tecnologia para alcançar suas metas.

E agora? Onde esse caminho irá levar o pessoal da Tecidos Vitória?!

Que “bruxas e dragões” irão desafiar Felipe e Luiz em nosso próximo capítulo? Vamos acompanhar para ver como eles vão melhorar a estratégia digital e a gestão de processos da Tecidos Vitória? Muitas emoções virão na continuidade da série “Era uma vez…”.

Até lá!

 

Cap.1 – Era uma vez… “Deixa que eu faço!”

Era uma vez uma discussão que já estava se tornando clássica na Tecidos Vitória: fazer ou não um site para a fábrica.

Felipe, gerente de marketing, vem sugerindo ao pai, ‘seu Luiz Vitório’, dono da fábrica, que criassem um site para a Tecidos Vitória, para apresentar seus produtos, além de ficar disponível a todas as pessoas com acesso a internet, aumentando o número de prospects da fábrica, mas como vimos no post de lançamento da série “Era uma vez…”, o pai não era nada fã ‘dessa tal de internet’.

"Não me dou bem com essa tal de internet!"

Felipe lembrou do primo Arthur, que havia feito curso de internet, e convenceu o pai a chamá-lo para ser responsável por criar o site. Como não tinham nada na internet e todos os concorrentes já tinham site, Luiz Vitório permitiu o lançamento mesmo não gostando do trabalho apresentado, afinal o sobrinho sabia o tal do HTML e ele não, e o site havia sido bem barato, então não discutiria.

Você conhece histórias como essa? Já viveu este tipo de situação na sua empresa?

Arthur, sobrinho que conhece HTMLPercebendo o descontentamento, Arthur sugeriu entregar o site a um grupo de amigos do curso de internet que cobrariam barato e entregariam rapidinho. O tio aceitou. Mas o prazo prometido não foi cumprido e depois de todo o processo, o site (que não ficou a contento), mas já estava pago, foi relançado.

Esse conflito do que e como comunicar, além de conhecido pelas empresas no dia a dia, já faz parte do nosso conhecimento há muito tempo. Temos um exemplo disso na história do Pinóquio, o boneco mentiroso que queria ser menino de verdade, você se lembra?

Felipe, gerente de marketingPois bem, depois de alguns meses, Felipe lembrou-se dessa história e de uma conversa que teve com um amigo sobre isso. Ao entender a relação da história com o mercado partiu em busca de uma agência especializada em internet.

Em que parte dessa história toda sua empresa se encontra? Você não precisa passar por experiências como essa para poder ter um projeto de internet que atinja os objetivos e supere as expectativas de acordo com o posicionamento planejado. Pense muito bem na hora de escolher a agência que criará seu site institucional!

Quer saber o que a história do Pinóquio tem a ver com a contratação de um site institucional? Fique atento ao próximo post de nossa série “Era uma vez…”

O projeto nosso de cada dia: Bon apetit

Você acompanhou a série de posts “O projeto nosso de cada dia” e hoje apresentamos o último capítulo. Já dá até gostinho de quero mais, não é mesmo?

Desenvolver projetos bem estruturados e planejados que caminhem de forma sólida e gradativa para atingir os objetivos de nossos clientes é tão importante quanto o processo de alimentação saudável é importante para o profissional de nutrição. É baseado nessa premissa que nos movimentamos diariamente para atender nossos clientes.

Vamos relembrar então o caminho que percorremos até aqui?

Primeiramente, acompanhando e entendendo seu negócio, conseguimos aliar a fome com a vontade de comer, transformando ideias e objetivos em um escopo claro e preciso para que, voltando à analogia com o nutricionista, não haja o perigo de fazer o ‘paciente’ engordar se seu interesse for emagrecer.

Agora que já batemos um papo, estudamos os objetivos e sabemos se o projeto é “para emagrecer ou para engordar”, chega o momento de escolher como isso será feito. Dieta com saladas e exercícios ou algo mais calórico mas mesmo assim, saudável? Site InstitucionalLoja Virtual, Links Patrocinados? Que ferramentas podem trazer os resultados esperados?

 

A partir daí sua empresa está quase pronta para escolher o fornecedor de seu projeto de internet. Isso se ela já tiver expectativas claras e realistas em relação ao retorno sobre o investimento como um fator determinante para a realização de um projeto de sucesso. Caso contrário, ainda há um perigo iminente no processo: algumas pessoas ainda se arriscam em tentar fazer dietas caseiras, e há inúmeras delas espalhadas por aí: da lua, da luz, da sopa, do queijo, do brigadeiro (hummm) e até de fast-food.

É tentador, não é? Mas raros são os casos de sucesso nessas dietas. As pessoas acabam tendo sempre que recomeçá-las a cada segunda-feira… e com o desenvolvimento de projetos de internet sem critérios profissionais e de comprometimento é a mesma coisa… As empresas se cansam de ter que ficar refazendo seu site porque ele não consegue atingir os objetivos ou até mesmo porque são criados sem uma definição clara de quais são eles. Em nosso 3º post desta série discutimos sobre esses riscos… Lembra?

Por último e não menos importante… se você conseguiu vencer a tentação da dieta do brigadeiro ou da luz você está no caminho certo para avaliar a proposta de uma dieta saudável e estrategicamente equilibrada e decidirá continuar as consultas com o nutricionista. Grande decisão!

É hora então de começar a se alimentar de uma forma melhor: Bon apetit!

Como parte do processo de se nutrir, chega a hora então da digestão e depois, de monitorar o peso, açúcares, etc, e todas as informações recebidas no percurso para se manter saudável e evoluir gradativamente nos exercícios, assim como a metodologia que seguimos com nossos clientes de webmarketing, proporcionando que eles possam conhecer novos paladares e o melhor de tudo, alcançar os objetivos!

O Projeto nosso de cada dia: Capítulo 4 – Qual o melhor custo-benefício?

No vídeo acima, Fábio Marão, Gerente de Marketing Interativo da Azul Linhas Aéreas, ilustra a relação entre agência de internet e empresa em busca de um satisfatório retorno sobre o investimento.

Analisando nossos três primeiros capítulos da série “O Projeto nosso de cada dia”, chegamos à conclusão de que as empresas que desejam traçar planos para a internet devem alinhar seus projetos à sua realidade. Antes de tudo, a empresa deve conhecer sua estrutura, seu modelo de negócio, seus recursos e seus pontos fracos, para depois definir com clareza suas metas para o futuro.

Mas, afinal, como definir qual o melhor custo-benefício para seu projeto?

Voltando à comparação com alimentação, podemos dizer que quando nos alimentamos temos a possibilidade de escolher várias opções de ingredientes, dos mais baratos aos mais caros, dos mais saudáveis aos mais gordurosos, dos menos aos mais saborosos.

No capítulo 3, citamos a difusão de projetos fast food no mercado. Não é preciso ser especialista para afirmar o quanto esse tipo de projeto pode ser arriscado para qualquer empresa. Por mais que seja barato e rápido, o resultado certamente será fraqueza e mal estar. Projetos desse tipo, que primam pela rapidez exagerada no processo e na colheita de resultados, acabam pulando etapas e pecando pela falta de planejamento e estratégia de aplicação, resultando, sem dúvidas, em grande prejuízo para a empresa.

No entanto, devemos deixar bem clara a diferença entre um projeto fast-food e uma receita caseira que utiliza ingredientes mais simples. Neste caso, o diferencial desse tipo de projeto será a forma com que os ingredientes serão selecionados e preparados. De forma mais simples, podemos afirmar que projetos com menores investimentos trarão resultados  muito eficientes, desde que sejam muito bem planejados e executados com uma sinergia entre agência digital e empresa.

Quando compramos alimentos frescos e de boa procedência, podemos pagar um pouquinho mais, mas a refeição será muito mais leve e saudável. O bem estar e a disposição farão muita diferença no dia a dia. Sendo assim, se sua empresa dispõe de mais recursos e se sente preparada para colocar em ação um grande projeto, a perspectiva de sucesso é extremamente grande. Nesse caso, o investimento demandará uma estratégia muito mais detalhada e minuciosa durante o processo e uma aplicação muito mais criteriosa para que os resultados sejam realmente os esperados.

Alguns fatores serão decisivos para o sucesso do projeto. A agência de mídia envolvida exerce um papel semelhante ao de um nutricionista em todo o processo, auxiliando a empresa a definir com clareza os objetivos do projeto. Projetos de site, hotsite ou campanha de fidelidade, por exemplo, devem ser planejados e executados com uma visão clara de onde se deseja chegar com o investimento.

Hoje, o monitoramento dos resultados nas mídias digitais pode ser feito em tempo real e com grande precisão. Em um site, por exemplo, é possível mensurar o número de cliques em áreas específicas da página, tempo de permanência do usuário e média de páginas vistas em cada visita no site.

Deve-se ter em mente que o lançamento do projeto é apenas o início do ciclo. Seu fornecedor de internet (agência) e sua equipe de marketing e tecnologia devem estar envolvidas no processo, comprometidos a longo prazo com o monitoramento e a interpretação dos resultados, para que os erros sejam corrigidos e o projeto evolua continuamente.

A Triata é especialista nesse mercado. Se sua empresa pretende traçar planos de sucesso para a internet, entre em contato conosco. Nossa equipe avaliará os caminhos ideais para o desenvolvimento de seu projeto.

Sites pesados e má organização de conteúdo são barreiras ao acesso à web no Brasil

O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) divulgou os resultados da Pesquisa TIC Domicílios 2010. Mais de 24 mil domicílios foram entrevistados em todas as regiões do Brasil sobre infraestrutura tecnológica nos domicílios brasileiros, perfil dos usuários brasileiros de computador e Internet, uso do computador e da Internet e mobilidade e portabilidade.

Entre 2009 e 2010, a proporção de domicílios brasileiros no Brasil com computador passou de 32% para 35%, representando um crescimento de 9%. Na área urbana, essa proporção passou de 36%, em 2009, para 39%, em 2010, registrando uma taxa de crescimento de 8%.

Em 2010, observa-se crescimento considerável do acesso à Internet no domicílio, subindo de 24% em 2009 para 27% em 2010 . Entre o total da população brasileira urbana, o crescimento foi de sete pontos percentuais em relação à 2009. “Trabalho” (22%), “escola” (14%), “casa de outras pessoas” (27%) e “centros públicos de acesso gratuito à Internet (telecentros)” (4%) mantiveram os mesmos patamares da edição anterior.

Apesar do crescimento médio de 19% ao ano do acesso dos brasileiros à internet, a maioria dos usuários apresentou duas barreiras para o uso da web: o acesso a sites pesados e a dificuldade em achar informações nas páginas.

Em ordem, as principais barreiras, segundo os entrevistados são: acessar sites demora muito/páginas pesadas (37%), não encontro à informação desejada no site (21%) e dificuldades em ler textos longos (14%).

Do ponto de vista estrutural, as barreiras para o acesso são o preço (49%) e indisponibilidade do serviço na região que vive (23%) – esse último fator é mais corrente em regiões rurais.

Quanto ao acesso ao computador, a dificuldade da população que ainda não tem é, predominantemente, em função do custo elevado e por não terem condições de pagar (74%). Há ainda pessoas que argumentam que não têm interesse em comprar um PC (38%), outros falam que não têm habilidade ou necessidade (26%) e até quem fale que o custo benefício não vale a pena (8%).